Ipuiuna se emancipou graças ao trabalho incansável de muita gente forte e determinada e conseguiu, ao longo dos anos, guardar características que a faz tão peculiar. Essa cidade que é conhecida em toda a região do sul de Minas através da Bataticultura, conseguiu unir progresso com o jeito acolhedor de receber, como que sentíssemos sempre o café coado na hora, na taipa do fogão, com o bolinho, a broa, esperando para um delicioso causo na cozinha.

Ao chegar em Ipuiuna, sentimos como se as janelas estivessem abertas para receber o calor e o aconchego do dia que amanhece, inundando a varanda com o sol. E o coração do Ipuiunense, seu jeito interiorano e manso de receber é que acolhe a alma dos nossos visitantes e da nossa comunidade. É só olhar na nossa comunidade, quantas pessoas que não nasceram aqui, encontraram, porém, em Ipuiuna o local apropriado para formar suas famílias, e aqui ganharem com dignidade o dom de viver com alegria.

Esse povo festeiro e animado também consegue unir as novas tendências e preservar ainda suas tradições. Quantos de nós não temos em nossas lembranças, as imagens dos tradicionais bailes da Festa de Maio, nossas formaturas, nossos amigos, famílias inteiras que tem o nome Ipuiuna cravado em seus corações e em suas memórias.

Hoje, Ipuiuna está entre os destaques de nossa região. É reconhecida em todo o Estado devido à influência não só econômica, mas também social e política que desfruta. O que nos faz acreditar que, mesmo vivendo em um local tão auspicioso, ainda podemos e merecemos ter muito mais. O povo de Ipuiuna merece ter o progresso correndo em suas vidas, assim como a água de seu Rio Pardo corre nas veias deste Brasil, lembrando que é de uma cidade pequena que, muitas vezes, nascem e se desenvolvem os grandes homens e mulheres de uma nação. É aqui, em uma cidade pequena o berço da união que congrega religiões, etnias e corações num único objetivo: sobreviver a luta diária de nossas vidas buscando a felicidade. Cada um da sua maneira, com seus meios, mas sempre unidos na fé em Cristo e na certeza de que vivemos em um terreno abençoado e que me permitam dizer: se Deus é brasileiro, ele deve ser mineiro e com, certeza, ter morado nem que seja por um verão, aqui em Ipuiuna.

Elaine C. de Oliveira