FUNDADORES DE IPUIUNA.

ESTÁTUA. Merece uma estátua. Uma para cada um. Pensei bastante e cheguei à conclusão, que os fundadores de Ipuiuna, merecem – cada um – uma estátua. A história, sustentada em muitas publicações, narra que os moradores da região, de grandes posses, JOSÉ FRANCISCO DE OLIVEIRA LOPES, JOÃO BERNARDES DE SOUZA e ANTONIO CANDIDO LOPES resolveram doar, para formação do município, uma área de terras, de 9,5 alqueires, onde se formou o nosso querido rincão ipuiunense. Foi um gesto de grande visão futurista, pois descortinavam a formação de um povo, que merecia se instalar em terras tão promissoras. José Francisco de Oliveira Lopes recebeu sua homenagem, emprestando seu nome à principal praça de Ipuiuna, Praça José Francisco Lopes, em frente à Igreja Matriz. João Bernardes de Souza, também foi homenageado, da mesma maneira, com a Praça João Bernardes de Souza, atrás da Igreja Matriz. E Antonio Candido Lopes não teve nenhuma homenagem e, ainda, seu nome foi esquecido, em grande parte do tempo. Vamos corrigir esse erro? Precisamos mobilizar as forças políticas, para fazerem essa retardatária homenagem. Eu tenho uma idéia. Entendo que, além desse gesto de doação, o melhor da existência desses três ipuiunenses desbravadores, é sua descendência, que cuidou bem dessa terra, construindo através dos tempos, uma Ipuiuna, de grande orgulho para todos nós. Para efeito de registro, sem muita sustentação histórica, aparece, de vez em quando, uma corrente de pensamento, que diz que a doação foi forçada, porque o local era objeto de litígio, e para evitar uma demanda judicial, resolveram fazer doação dessa gleba de terras. Não comungo desse pensamento, e por isso, reafirmo que os três fundadores de Ipuiuna, os três doadores da gleba, onde se formou Ipuiuna, merecem uma estátua, uma para cada um.